24 de nov de 2008

A Migração no Rio de Janeiro


Lá pelo começo do século XIX, quando a monarquia portuguesa se refugiou no Brasil, um dos primeiros locais que eles decidiram se estabelecer foi a cidade do Rio de Janeiro. Mais especificadamente no bairro de São Cristóvão, onde D.Pedro II se estabeleceu com os seus em uma imensa chácara chamada Quinta da Boa Vista. Devido à presença da realeza nas redondezas, o bairro passou a ser uma área nobre da cidade, onde somente residiam os ricos e importantes da época.

Um belo dia chega aos ouvidos de D.Pedro uma notícia tentadora: haviam encontrado uma baleia encalhada em uma praia distante dali, chamada Copacabana. A monarquia portuguesa resolveu então fazer um passeio à praia; toda a aristocracia montou em suas côches e desceram para a praia. Ao chegar ao local, de fato havia uma baleia, porém mais encantado ficou D.Pedro com as paisagens praianas e, desta forma, ficou determinada a nova área nobre da cidade.

De lá para cá, Copacabana passou a concentrar famosos, artistas, malucos e gente endinheirada do Brasil e do mundo. Esta fama durou até meados da década de 70, com a geração hippie descobrindo Ipanema e determinando que ali era um melhor point, longe da "burguesia". Por causa do exaustivo fluxo migratório, Copacabana ficou saturada e todos aqueles que haviam se mudado para cá atrás de refúgio, passaram a se direcionar para a praia seguinte.

Ipanema passa, então, a ter seu auge em meados dos anos 80, com Cazuza e companhia fumando maconha no posto 9. Por causa da crescente inflação e das especulações imobiliária nos anos 90, a praia continua sendo um atrativo, porém morar na região passa a ser financeiramente inviável.

No começo do novo milênio, a burguesia carioca decide migrar para a Barra da Tijuca, um local onde ainda havia muito espaço para se construir e poucos transtornos com os quais se preocupar. Hoje, quase uma década depois, alguns desgostos já começam a ser notados.

A pergunta é: para onde iremos em seguida?

Artigos Relacionados

1 comentários:

juliane wëlter disse...

tu tem blog, guria! vou visitar com freqüência!

bjos!!!

24 de novembro de 2008 21:21